A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

21
Set 11

Sempre me pareceu que a Regionalização seria um bom caminho para um desenvolvimento integrado do nosso País. Com o advento da crise e a cada vez mais escassez de meios, principalmente os financeiros, a implementação duma reforma administrativa do território como há décadas se discutia, fica sem sentido.

 

Ainda assim, acho vantajoso, mesmo numa perspetiva economicista, descobrir e capitalizar todo o tipo de sinergias regionais, envolvendo grupos de municípios de forma a criar bolsas decisórias com poder legitimado e reforçado.  

 

Há muito que os portugueses conhecem o Presidente do Governo Regional da Madeira. Se dúvidas houvesse, os últimos acontecimentos e os nomes que este, nestes dias, tem chamado aos portugueses do continente, aos de Lisboa e ao Estado Português, como se ele fosse doutro planeta, todos ficaríamos esclarecidos.

 

Claro que nem toda a gente se comporta como este senhor e sua pandilha mas, nestes tempos e congelando para mim a ideia da Regionalização, acho que não devemos correr o risco de entregar outras regiões do País a um qualquer clone do da Madeira.

 

Deixa-te estar sossegada Regionalização!

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:06

28
Fev 11

A ausência de partilha e descentralização do poder é a grande falha do nosso regime democrático. Está aqui, nesta constatação, provavelmente a razão mais consistente para justificar o nosso fracasso económico como País e o consequente abandono de vastas zonas do interior de norte a sul do território.

 

Mais uma vez encontramos a responsabilidade da situação, nos partidos no arco de poder. Têm querido manter, por todos os meios, a exclusividade do governo centralizado. Não nos esqueçamos que mesmo no ano em que Guterres levou a regionalização a referendo, uma parte considerável do PS e do Governo, não estava com o sim.

 

Não restarão muitas dúvidas que o atual modelo económico está esgotado e, qualquer que seja a alternativa vai necessariamente passar pela regionalização. Não percam tempo com referendos, mapas polémicos e artificiais e considerem como aceitáveis as cinco regiões-plano existentes: Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve.

 

Eu não fiquei nada admirado com a retirada da regionalização da agenda de Sócrates. Tem tudo a ver com o homem e com a postura do Governo. O PS já tinha muitos problemas para resolver e agora tem mais outro porque a questão não é pacífica, é mesmo fraturante.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:48

Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO