A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

06
Mar 12

É inquietante e desesperante a inação deste Governo no “salvamento” dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Alguns negócios confirmados estão em vias de ir “pelo cano” porque a empresa não consegue arranjar maneira de adquirir os materiais para iniciar as construções, sem que algumas decisões sejam tomadas pela tutela.

 

Entretanto, para “ajudar”, a “Douro Azul” anunciou hoje que os dois próximos navios-hotel a concurso, no valor de 50 milhões de euros, não vão ser construídos pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Embora este negócio nunca tivesse sido confirmado, diz a “Douro Azul” que não pode correr o risco de ocorrerem eventuais atrasos na execução da encomenda e, «para bom entendedor, meia palavra basta!»

 

O País precisa de crescimento e é urgente dar sinais nesse sentido.

 

Enquanto se gastam nas lutas “intestinas” sobre as verbas do QREN, de que é que estão à espera para resolver o problema dos ENVC?

 

A regularização da laboração destes estaleiros, para além de manter ativo um dos últimos redutos da nossa secular indústria naval, ajudava a devolver alguma esperança e ânimo aos portugueses, especialmente, aos do norte de Portugal.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:23
tags: ,

03
Fev 12

A sobrevivência dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) devia ser um desígnio nacional.

 

A manutenção dos 600 e tal postos de trabalho diretos e a salvaguarda da economia da cidade e do Concelho, só por si, já seriam razões suficientes mas, igualmente importantes são os compromissos assumidos com encomendas, a necessidade de estabilizar a empresa, recuperando-a, e dando um novo folego à Industria naval portuguesa no caminho da necessidade de crescimento que o País atravessa.

 

O Governo tem aqui uma boa oportunidade para recuperar alguma credibilidade que lhe foge, tratando de resolver por todos os meios a questão do “Atlântida”, rejeitado pelo Governo Regional dos Açores sem que se perceba muito bem como isso foi possível e levantar os ENVC como “isco” (no bom sentido) de recuperação da economia nacional.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 16:24
tags:

04
Jan 12

Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) são o último reduto da nossa história quase milenar, no que respeita à construção naval.

 

Infelizmente, os nossos “troikados” governantes, movidos pela orientação ultra-liberal e mercantilista, não estão preocupados com história nem com imperativos nacionais que não somem mais uns milhões às receitas do Estado para garantir as metas orçamentais.

 

Hoje se resolverá o futuro do que resta deste setor industrial que tanto prestígio e “divisas” deram ao nosso País. O irónico disto tudo é que os ENVC até têm encomendas. Não têm é dinheiro para comprar o material necessário à construção das embarcações em carteira nem para pagar aos empregados. 

 

A viabilização e continuação dos ENVC por capital privado, misto ou público, era a melhor coisa que podia acontecer aos cerca de 650 trabalhadores e à cidade de Viana do Castelo.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 16:03

Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO