A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

20
Mar 12

A maneira desprendida como os governantes se referem ao destino dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo é, no mínimo, escandaloso.

 

A privatização não é a salvação dos ENVC! A decisão é “sacudir a água do capote” vendendo mais um dos anéis. É o último grande estaleiro, o que resta da nossa, quase ancestral, indústria naval. Pelo menos, desde o século XIII, que do Pinhal de Leiria saía a madeira para a construção das embarcações que haviam de levar os portugueses aos quatro cantos do mundo. Foi por essa época que nasceram os primeiros estaleiros de construção e reparação naval de Portugal.

 

Desta feita, seis séculos depois, outros se encarregaram de acabar com esta “sabedoria” nacional. O “fim” foi iniciado na segunda metade dos anos oitenta do século passado com a “destruição” da Lisnave e Setenave e agora, outra vez pela mão do Estado, assistimos ao golpe de misericórdia com o abandono dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo.

 

«Esaú, vendeu-se por um prato de lentilhas!»

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 15:58

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


18
23
24

26
27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO