A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

19
Mar 12

Toda a gente sabe e há muito, que o petróleo não voltará a ser barato. Os produtores das ramas e os intermediários do negócio até ao consumidor final vão continuar a usufruir dos chorudos lucros durante mais duas ou três décadas, pelo menos.

 

Quem não produz e só consome, tem de se chegar à frente e encarar como desígnio, arranjar alternativa. A solução não passará por voltar ao carvão vegetal pelo que não se pode deitar fora o trabalho pelas energias renováveis feito por anteriores governos, mesmo que tenham sido doutra “cor”.

 

Em vez de declarar “conformidade” com o constante aumento dos combustíveis, o nosso Primeiro-Ministro, deve afirmar-se apoiante do trabalho já feito e empenhar-se no reforço de tudo o que vá no sentido de reduzir a nossa dependência energética.

 

Até ao “anterior governo”, estávamos no TOP universal deste trabalho, e agora?


Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:11

Se bem que a crise com o Irão não nos afecte directamente sem dúvida que há no nosso país postos de revenda de combustíveis que estão ligados á importação daquele país.Fortemente penalizados pela crise, a sua oferta nunca poderia competir com empresas estabilizadas e fora da influência perniciosa do conflito com o Irão.Haverá concertação global que justifique nivelar preços da concorrencia?Ou será que há conveniencia na perspectiva do lucro daqueles que não são dependentes do foco desta crise_?
vitalux a 19 de Março de 2012 às 20:11

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


18
23
24

26
27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO