A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

14
Mar 12

A história da nova medição de audiências às televisões é do “Arco-da-Velha”!

 

Pelas denúncias que conhecemos é realmente muito estranho que este trabalho tenha sido adjudicado ao concorrente que ficou em último lugar na apreciação técnica. Por outro lado, e já depois de detetados os primeiros erros grosseiros a empresa reconhece publicamente algumas insuficiências considerando normais os problemas existentes no início da concessão.

 

Entre outras coisas a diminuição de dados recolhidos na faixa etária acima dos 50 anos é de “bradar aos céus”.


A RTP conseguiu finalmente que a nova medição seja objeto de auditoria.


“A, César o que é de César!”


Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 22:29

13
Mar 12

 

 

 

 

 

A grande massa de portugueses conheceu Fernando Assis Pacheco assistindo, em 1977, ao êxito que foi o programa televisivo, “A visita da Cornélia”, apresentado pelo “grande” Raul Solnado.


Nuno Costa Santos escreveu a biografia de Fernando Assis Pacheco que, em tempos, assim se definia: «Sou o FAP, 41 anos, um pasmado sem cura. Tudo me espanta, gramo a vida, quero morrer mais lá para o verão.» O autor chama-lhe “trabalhos e paixões” mas, do género, é do que mais gostei nos últimos tempos. FAP era fascinante. Jornalista e escritor com uma forte marca poética, trabalhou em várias publicações destacando-se, pelo compromisso profissional permanente, nos jornais: “Diário de Lisboa”, “República”, “O Jornal”, “Jornal de Letras” e, até à sua morte, a revista “A Visão”.

 

Nuno Costa Santos consegue transmitir para o leitor a verdadeira personalidade de Fernando Assis Pacheco com o ritmo certo. Vale a pena ler estes “trabalhos e paixões”. Para os que já conheciam FAP é uma oportunidade de o recordar, para os outros, de o descobrirem.

 

Nuno Costa Santos é escritor e guionista e tem 37 anos e teve a coragem de levar a cabo esta interessante obra.

 

É uma edição da “Tinta da China” em Janeiro de 2012.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 21:22

12
Mar 12

Marcelo Rebelo de Sousa, no habitual comentário de domingo à noite, criticou veementemente Cavaco Silva a propósito do que escreveu recentemente sobre os últimos tempos do governo de José Sócrates.

 

«Há uma minimização dos poderes do presidente a quatro anos do fim do seu mandato»; disse o Professor.

 

Se foi uma quebra de confiança, logo, uma grave irregularidade institucional, o Presidente devia ter demitido o antigo Primeiro-Ministro.

Isto é como nos casamentos;

 

Demitia o Sócrates ou então calava-se, pelo menos, até ao fim do mandato.


Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 10:15

11
Mar 12

O BPN tem-se revelado um “bico d’obra” e um “saco sem fundo” que ninguém consegue resolver. Todos tentam encontrar ou criar “bodes expiatórios” para a inacreditável situação do falido banco.

 

O atual PS tenta fazer crer que só este Governo é responsável pelos “balões” e prejuízos que o BNP continua a “chupar”, o PSD e o CDS continuam a culpar o PS e o anterior governo pelo que correu mal em consequência da nacionalização.

 

Estes não têm culpa do que herdaram mas, relativamente à nacionalização, é muito fácil “dar prognósticos depois do jogo” – se o governo de Sócrates não tivesse feito nada e, da forma como as coisas estavam a evoluir, os depositantes, com medo da situação, começassem a correr ao BPN e, por contágio, aos outros bancos, para levantarem todo o dinheiro depositado? Como ficávamos? Como ficava o País?


Com este “dirás tu, direi eu”, ninguém já fala dos verdadeiros culpados da situação, os antigos ministros de Cavaco Silva; Oliveira e Costa, Dias Loureiro e restantes comparsas. Os “senhores” continuam sem ser julgados, nem sequer estão presos e estes nossos políticos no ativo esgatanham-se todos por causa do “bife”.

 

Agora, aprovaram mais um inquérito parlamentar onde vamos voltar a assistir ao circo habitual. Vão uns, vão outros e, no fim, fica tudo na mesma – os culpados passeiam-se e gozam todos os prazeres da boa vida com o produto da vigarice…


e o , paga!


Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 16:29

09
Mar 12

Cavaco Silva, desvalorizando completamente a responsabilidade institucional das suas funções e o que se lhe exige, no que respeita à estabilidade da democracia e ao seu desejável papel de árbitro nas relações dos vários intervenientes, escreveu, em prefácio de livro hoje tornado público, palavras, frases e expressões, diabolizando o antigo Primeiro-Ministro José Sócrates duma forma descabida e extemporânea.

 

Em circunstâncias normais, Cavaco Silva ainda será o mais alto magistrado da Nação durante mais quatro anos, não lhe ficando bem referir-se aos protagonistas da governação da maneira como o faz hoje, relativamente a José Sócrates. Mesmo que a razão lhe assistisse por inteiro, que não é o caso, digo eu, não o deveria ter fazer. Muito menos quando os seus telhados de vidro são enormes e também se podem partir.

 

Estou com muita curiosidade em ouvir o que António José Seguro tem a dizer sobre esta “prenda” de Cavaco Silva a José Sócrates.

 

Silvestre Félix


08
Mar 12

O Governo e principalmente o Primeiro-ministro, ficaram muito mal na fotografia “Lusoponte”.


De facto, a Lusoponte recebeu duas vezes as verbas respeitantes às portagens da ponte sobre o Tejo de Agosto de 2011 – uma vez, através da cobrança aos utentes e, outra vez, a compensação contratual como se não tivesse havido cobrança.


Ora, a polémica continua, mesmo depois de já estar tudo explicado e, tal como do ponto de vista técnico já estava previsto, o encontro de contas deverá ser já feito neste mês de Março.

 

O muito mau disto tudo é a forma atabalhoada como o Primeiro-Ministro (não) explicou a situação em plenário da Assembleia da República e, não sendo suficiente, ainda vem um jovem deputado do PSD acusar o PS de criar uma “chafurdice política”, quando, quem levantou a questão foi o BE e, não contente, ainda acusou a “Estradas de Portugal” de ser o “braço-armado” do anterior governo. São expressões completamente despropositadas, ainda por cima, quando a “chafurdice”, a haver, ter sido do lado do Governo.

     

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 21:58

07
Mar 12

Continuo a encarar com alguma expetativa os debates quinzenais na Assembleia da República com a presença do Primeiro-Ministro.


Invariavelmente, após as primeiras intervenções “vai-se” o interesse, e a expetativa fica resumida a um enfadonho espetáculo em que cada “ator” tenta, buscando os melhores recursos ao seu dispor, representar melhor que o outro.

 

Os temas e assuntos que preocupam a generalidade dos portugueses, raramente fazem parte dos “textos” e das “deixas”. Os protagonistas, sendo bons atores e especialistas no improviso, repetidamente desrespeitam os guiões e vão debitando as “falas” que mais aplausos arrancam à “plateia”.


«Palavras, leva-as o vento…»


Silvestre Félix 

publicado por voltadoduche às 16:58

06
Mar 12

É inquietante e desesperante a inação deste Governo no “salvamento” dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Alguns negócios confirmados estão em vias de ir “pelo cano” porque a empresa não consegue arranjar maneira de adquirir os materiais para iniciar as construções, sem que algumas decisões sejam tomadas pela tutela.

 

Entretanto, para “ajudar”, a “Douro Azul” anunciou hoje que os dois próximos navios-hotel a concurso, no valor de 50 milhões de euros, não vão ser construídos pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Embora este negócio nunca tivesse sido confirmado, diz a “Douro Azul” que não pode correr o risco de ocorrerem eventuais atrasos na execução da encomenda e, «para bom entendedor, meia palavra basta!»

 

O País precisa de crescimento e é urgente dar sinais nesse sentido.

 

Enquanto se gastam nas lutas “intestinas” sobre as verbas do QREN, de que é que estão à espera para resolver o problema dos ENVC?

 

A regularização da laboração destes estaleiros, para além de manter ativo um dos últimos redutos da nossa secular indústria naval, ajudava a devolver alguma esperança e ânimo aos portugueses, especialmente, aos do norte de Portugal.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:23
tags: ,

04
Mar 12

A onda eleitoralista levou a que Passos Coelho cometesse o primeiro grande erro do seu Governo ainda antes de o ser – a redução de ministérios na orgânica governamental.


Diminuiu os ministérios e, em consequência, teve que aumentar as secretarias de estado. Em vez de melhorar na decisão e implementação de medidas, complicou porque os secretários de estado não estão (salvo as exceções previstas) no conselho de ministros concentrando-se os dossiers nos ministros de tutela que ficaram “super’s” com tudo o que de negativo daí vem.

 

A propósito da (discutida e, pelos vistos disputada) gestão dos milhões do QREN, mais uma vez é destapada a fraca prestação do professor que “veio do outro lado do mundo” para ministro do trabalho, da economia, dos transportes, das comunicações, do emprego, do empreendedorismo, da competitividade, da inovação, da energia, das obras públicas, do turismo, etc. (não sei se me esqueci de alguma função).

 

Será que qualquer outro ministro, competente que fosse, conseguia dar conta deste recado tão comprido? Este está mais que visto que não consegue e peca ainda mais pelas “bacoradas” que com muita frequência diz e pelas promessas (em breve será anunciado que…) e intensões ainda não concretizadas.

 

Na situação em que se encontra o País, todos os esforços deviam estar concentrados com a força de um Ministério da economia, empreendedorismo, competitividade e inovação. Assim não havia dúvidas para a gestão dos dinheiros do QREN… e pelo menos acreditávamos que o crescimento da economia era uma verdadeira prioridade.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:16
tags: ,

03
Mar 12

Depois deste “trágico” fim de semana para a cidade Capital

 

pois, perderam os maiores da segunda circular,

 

começam a correr pelos circuitos da imprensa universal, notícias que dão conta das movimentações envenenadas das principais agências de notação que culminarão em mais uma descida de nível da Capital à beira rio plantada.

 

Neste início de Março, a vinte dias da Primavera, o alfacinha carrega a sina de perdedor.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 23:11
tags:

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


18
23
24

26
27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO