A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

15
Mai 11

 

A leitura compulsiva, página a página, não esgota a “adrenalina” provocada pela expectativa do parágrafo seguinte.

 

“O Último Papa”, mistura do real e da ficção, para além de nos envolver na trama conspirativa imaginada, leva-nos ao convívio com factos e personagens históricas ainda muito presentes para a minha geração.

 

A escrita de Luís Miguel Rocha agrada-me também porque em plena narrativa não abre ásperas para comentários marginais ou acrescentar imagens do futuro. Esta opção aproxima-nos do pensamento do autor.

 

O acontecimento histórico central da obra, a súbita morte de João Paulo I (Albino Luciani), é soberbamente tratado. Na época, para o mundo, encarado como fatalidade terrena para a Igreja Católica, viria, com o tempo, a traduzir-se num mistério bem guardado.

 

A envolvente portuguesa não é descabida porque desde os primórdios da nacionalidade existem ligações muito fortes do Vaticano ao nosso País. Não esqueçamos o nosso passado de evangelização pelo mundo ao serviço da Igreja e sempre com o patrocínio dos Papas.

 

Luís Miguel Rocha nasceu no Porto em 1976. A edição é das “Edições saída de emergência” e a primeira foi em 2006. Tem uma edição de “bolso” em 2009 que é bastante mais barata.

 

Silvestre Félix

 

(Imagem: Capa do livro do site da Editora)

publicado por voltadoduche às 11:20

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

16

26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO