A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

24
Fev 11

 

“A Casa-comboio” de

Raquel Ochoa

 

A jovem escritora Raquel Ochoa, vencedora do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís 2009 instituído pela Estoril-Sol, conseguiu, através do seu primeiro romance – A Casa-comboio, prender-me à genial narrativa do princípio ao fim.

 

Independentemente da qualidade da escrita, o romance, que é histórico, dá a conhecer uma parte importante da nossa história materializada no conhecimento do epílogo do Estado Português da Índia. Na verdade, em 1961, os acontecimentos e os pormenores da entrada da União Indiana em Goa, Damão, Diu e Nagar-Aveli, nunca foram revelados ao povo português. A forma como as coisas aconteceram estão bem ilustradas nesta obra, embora o livro não se detenha duma forma principal nesta questão.

 

Raquel Ochoa conta a saga da família Carcomo ao longo de 4 gerações desde 1885 em Damão, até 2001 em Portugal. Pelo meio, a autora mostra-nos pela escrita os locais onde, através dos tempos, se desenrolam todos os momentos, bons e maus, desta família, desde Honorato, um filho Rudolfo, um neto Baltazar, uma bisneta Clara e todos de apelido Carcomo.

 

Raquel Ochoa nasceu em 1980 em Lisboa. Começou por escrever crónicas de viagens em resultado das suas reportagens e, à Índia, já foi mais de uma vez.

 

Edição da Gradiva e a primeira em Março de 2010.

 

Silvestre Félix

 

(Imagem: Cartaz com a capa do livro do blogue da autora)

publicado por voltadoduche às 21:31

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO