A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

12
Dez 12

A, Mário Soares, já não se lhe acrescenta elogios nem méritos porque se escala houvesse sido constituída, já teria “rebentado”, mesmo descontando defeitos e desmerecimentos que também os tem.

 

Reconhecida a excelência da criatura como selo validador do atrevimento da minha opinião, embrulhou-se-me as tripas ouvindo o senador afirmar tamanho erro de perceção;

 

“nem no tempo de Salazar” o “Governo foi tão odiado”


A reação intestinal foi vigorosa e tem a ver com o fator “surpresa”. É normal escutarmos comentários deste tipo em pessoas mais jovens que não viveram no período da ditadura mas ao ex-presidente, nunca pensei ser possível.

 

Decerto Mário teve “uma branca”!


Salazar tinha a funcionar o aparelho da ditadura com um protagonismo destacado da pide, da censura, da repressão duma forma geral, sem oposição no pseudo-parlamento e com a propaganda bem afinada e sincronizada aos desígnios do regime,

 

ou seja, naquele tempo, que Mário Soares tão bem conheceu e sofreu, não havia meio de fazer a medição do ódio que os portugueses tinham pelo Governo.


Este tipo de abordagem e comparação é muito perigosa e o senador, melhor que ninguém, devia saber isso.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:25

22
Mar 11

Mário Soares, na habitual crónica de Terça-feira no Diário de Notícias, apela a Cavaco Silva para que quebre a sua barreira de silêncio e intervenha junto dos partidos afim de evitar a queda do Governo e consequentemente, a paragem do País durante dois ou três meses até que se realizem eleições.

 

Cavaco Silva não vai ligar nenhuma a Mário Soares e, nem que fosse o Papa a pedir-lhe, faria alguma coisa para travar ou inverter o caminho que as coisas estão a levar. Quem faz um discurso como o da tomada de posse não pode estar mais de acordo com a queda do Governo. Aliás, a clareza com que expressou a sua oposição (excessiva) à ação governativa, despoletou o arranque decisivo para o fim de Sócrates como Primeiro-Ministro.

 

Esta permanente incerteza em que temos vivido no último ano, sobre se o Governo cai ou não, é desgastante, sendo preferível acabar com isto duma vez. O que me angustia é que o resultado das eleições, muito provavelmente, não vai resolver o problema da qualidade da maioria, e a questão é – absoluta ou relativa – seja lá qual for, dos dois, o mais votado. Os portugueses estão cansados dos nossos políticos, dos partidos e de tudo o que cheire a política. Sentem-se enganados e têm razões de sobra para isso. Nos últimos tempos, os políticos têm sido inimigos de si próprios porque criaram todas as condições para que as populações desconfiem de todas as instituições do nosso Estado democrático.

 

Independentemente de todos os problemas económicos e financeiros, é urgente restaurarmos a confiança dos portugueses nas instituições democráticas. Saltitam por aí muitos adeptos de “manhãs de nevoeiro” com um D. Sebastião montado num cavalo branco para salvar a “Pátria”. Há adeptos e há candidatos, por isso, é imperioso devolver credibilidade à nossa democracia.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 16:58

02
Nov 10

 

Assistindo ao debate parlamentar de hoje, com o OE de 2011 em cima da mesa, percebe-se bem, que, “qualidade” é uma característica que não abunda naquela “casa da democracia”.

 

Mário Soares, no seu habitual artigo do Diário de Notícias de hoje, aborda a questão do regime. Diz ele: “Alguns analistas que não gostam particularmente do 25 de Abril têm insistido muito – nos órgãos de comunicação social – que o nosso regime está esgotado e em crise.”

 

Tal como Mário Soares, eu também acho que o nosso regime não está esgotado, antes pelo contrário, precisa de algumas reformas que “refresquem” a sociedade e, ao mesmo tempo, que se consolide uma tendência segura de melhoramento das condições de vida dos portugueses. Infelizmente a austeridade não deixa, e não sabemos quantos mais anos teremos que esperar para recuperarmos o que agora estamos a perder.

 

A crise atual é financeira, foi importada e, amplificada em virtude das nossas deficiências estruturais. E, esses problemas que vêm muito de trás – reposição do nosso tecido produtivo, na agricultura, nas pescas, na reparação e construção naval, nos portos e transportes marítimos, na reparação e construção de equipamento circulante e não, de caminho de ferro, a par da investigação e desenvolvimento de todas as componentes de energia renovável, investigação, desenvolvimento e produção de novas tecnologias, etc. – para serem corrigidos, precisam de muita competência e, com os atuais atores (no PS e PSD), não tenho motivos para acreditar que exista essa capacidade.

 

SBF

publicado por voltadoduche às 16:52

27
Out 10

 

Triste União Europeia, é o título da crónica semanal de Mário Soares no Diário de Notícias e publicada nesta Terça-feira.

 

Começa a ser o entendimento de muitos, em tempo entusiastas da construção europeia, que a UE entrou numa fase decadente e que a derrocada pode – se não inverter rapidamente a atual trajetória – não estar longe. Mário Soares é uma dessas personalidades.

 

O antigo Presidente da República, no seu artigo, chama a atenção para um fato importante e que tem passado um bocado ao lado da comunicação social portuguesa. Os dois “cavaleiros-andantes”, Sarkozy e Merckel, estiveram, há uns dias, reunidos em cimeira com o Presidente Russo. Mário Soares tem dúvidas, e eu também, que os assuntos tratados a três, não tivessem também a ver com a UE mas… o que importa referir é a forma despudorada como os dois, depois de estarem juntos, falaram sobre a necessidade de revisão do Tratado de Lisboa.

 

Claro que as alterações que pretendem vão sempre no mesmo sentido: Reforçar a tendência e, se possível, institucionalizar o diretório Franco-Alemão e os restantes membros passarem à condição de súbditos.

 

Não há dúvida que Portugal tem de arrepiar caminho para, em vez de perder, ganhar soberania entretanto perdida.

 

Esse arrepio tem de ser pela recuperação económica. Temos um deserto para ultrapassar em 2011 e 2012 mas, em 2013, temos que estar a capitalizar a nossa vantagem nas energias renováveis, investigação e produção na área das novas tecnologias, virarmo-nos na direção do Mar e apostar forte na Lusofonia.

 

A União Europeia, para além de triste, está com um futuro cada vez mais duvidoso.

 

Mário Soares desta vez e neste caso, tem razão!

SBF

 

 

publicado por voltadoduche às 01:30

09
Jun 10

 

Quantas histórias a “CARINA” já tinha… Alguma comunicação social descreveu culpados e, ou, cúmplices, com todos os pormenores! A imaginação não tem limites nem responsabilidade e as fontes são sempre defendidas…

 

E esta de se transformar em olho, para ver os adversários da selecção da Costa do Marfim por um canudo, é que ninguém estava à espera que acontecesse ao Toni. Bom, mas “conhaque é conhaque” e o que interessa são os dólares ou euros ao fim do mês…

 

Com três pessoas apenas se compõe a manifestação. Foi convocada com toda a convicção mas…, só três manifestantes em frente do Palácio da Ajuda para “ajudar” o movimento contra o acordo ortográfico. Tenham juízo, ele (o juízo), até ainda é de borla…

 

Já que falo em juízo, o “Major” despediu-se das lides de dirigente desportivo entregando a presidência da assembleia da liga, a outro político de carreira…, sim, a assembleia é da liga de futebol, não se confunda “da república”.

 

Nesse plenário falou muitas vezes Mário Soares que, com o “mau tempo” que vai para o seu lado, continua de teimosia em punho, como se D. Quixote fosse, e moinhos de vento enfrentasse, em vez deste “Alegre Portugal”!

 

SBF

publicado por voltadoduche às 01:34

02
Jun 10

Mário Soares, no seu artigo (CLICAR AQUI PARA LER) de opinião do DN de ontem, escreve que o apoio à candidatura de Manuel Alegre, por parte do PS, “é uma opção tardia e infeliz”.

 

Todos sabemos há muito tempo que Mário Soares e os seus seguidores, jamais perdoarão a Manuel Alegre a ousadia de levar a sua candidatura a secretário-geral do PS até ao fim, depois da demissão de Ferro Rodrigues. Um dos candidatos era João Soares.

 

Hoje, Mário Soares, diz que a decisão “é tardia”, mas em meados de Janeiro, dizia exactamente o contrário: «É inconveniente falar das presidenciais nesta altura. Ainda é muito cedo.» (CLICAR PARA VER ESCRITO E VIDEO)

 

Manuel Alegre tem, neste momento, muitos adversários da sua candidatura dentro do PS com os soaristas na primeira linha e, por isso, a dificuldade da campanha vai ser dobrada. O apoio do PS vai condicionar o seu manifesto político no pior sentido.

 

Tenho muitas dúvidas que esta posição oficial do PS seja a melhor para a candidatura ser ganhadora.

 

SBF

publicado por voltadoduche às 01:42

15
Abr 10

  Os soaristas movimentam-se e ficaram alarmados com a notícia de apoio do PS à candidatura de Alegre. 

O aparelho do PS apressou-se a desmentir a notícia. 

O que espera Sócrates para declarar que Manuel Alegre é o seu candidato? 

Será decerto um sapo que engole mas, não tem alternativa. Também pode acontecer, hipótese que vem sendo admitida, que ele, com os seus pares conservadores mais os soaristas, prefiram a eleição de Cavaco.

Ontem, Sócrates, jantou ao lado de Mário Soares em Leiria.(CLICAR PARA VER)

 

SBF

(Foto e dicas: DN Online)

publicado por voltadoduche às 01:08

08
Dez 09

Mário Soares fez ontem 85 anos.
 
É o conforto da nossa democracia.
 
É incentivo para o nosso futuro.
 
É o tempero da nossa liberdade.
 
SBF
 
(Foto: Wikipédia)

 

 

publicado por voltadoduche às 01:10

Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
HOJE VIERAM VISITAR-ME

contador gratis
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO