A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

08
Out 11

O que ontem assistimos diretamente da Comissão de Economia da Assembleia da República, foi um triste espetáculo. Não havia documento para distribuir e depois, a meio, o Ministro tirou da pasta uma bonita capa mas, distribuído, acabou por ser um “estudo prévio” ou coisa parecida. Foi um momento de diversão e, ao mesmo tempo, enervante, pela ligeireza com que vimos coisas importantes serem tratadas.

 

Em meia dúzia de minutos, o Ministro, com o apoio de alguns quadros com números projetados, apresentou o esboço do “Plano Estratégico de Transportes”. O que mais me impressiona nisto tudo é a frieza com que se fala de decisões que, mesmo indiscutíveis, mexem com a vida duma boa parte de portugueses e no pior sentido.

     

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 22:40

07
Out 11

São poucos os dias e as ocasiões em que a generalidade das pessoas consegue definir com exatidão, a fronteira que separa o essencial do supérfluo e o bom do mau no que respeita à rotina do dia-a-dia.

 

É normal que ocupemos o tempo e a energia com coisas sem importância para o nosso crescimento como seres humanos. Ao invés, é raro valorizarmos a tranquilidade de “espírito” e a oportunidade de oferecer um gesto solidário sem receber nada em troca.

 

Mesmo em tempos difíceis do ponto de vista material, com mais e mais amigos e outros que conhecemos, a ficarem mal, mesmo assim…continuamos a não olhar de frente para o essencial e, em vez disso, voltamos a olhar de frente mas é para o espelho.

 

Quantas baboseiras vemos e ouvimos quando ligamos a televisão? São tantas e com tamanha rapidez que nem sequer conseguimos dar vazão. Esta sociedade caminha para um buraco sem fundo…que, para conseguir curvatura e inverter a tendência, muita coisa tem de mudar.

 

A maioria das pessoas carrega um saco bem cheio de lamentos e queixas! Em grande parte dos casos, seria até mais prático transportar um“muro de lamentações"em miniatura, para que o queixume fosse rápido e eficaz no resultado. 

 

Cada vez se torna mais difícil ouvir as queixas e os lamentos “de nada”!

 

Devia haver um mecanismo que, quando no “cidadão comum”, se soltasse a necessidade de produzir mais um banal “queixume”, aparecesse um ecrã mostrando verdadeiros sofrimentos e desgraças, para que, pela reflexão e força da razão, o gesto e o sentimento egoísta, que o cidadão estava preste a soltar, fosse simplesmente eliminado.

 

É claro que me refiro às questões “comezinhas” com que nos envolvemos todos os dias.

 

Há muitas queixas, talvez mais na onda do protesto que, podemos e devemos utilizar relativamente a uma enorme lista de atropelos de que os portugueses estão a ser vítimas.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 15:56

26
Set 11

Nesta Segunda-Feira, a digerir mais declarações completamente “descabeladas” da Chanceler Alemã e com as bolsas, já perto do fecho, a meterem mais “verde” do que “vermelho” nos seus indicadores, destaco, pela positiva, um acontecimento que pode ser o prenúncio de muitas mais mudanças no mundo árabe.

 

O Rei da Arábia Saudita anunciou, ontem, que as mulheres sauditas poderão votar e candidatar-se nas próximas eleições municipais. Neste País ultraconservador, até aqui, à mulher, não lhe são reconhecidos nenhuma espécie de direitos. Não pode fazer nada sem autorização do marido, nem conduzir.

 

Esta abertura, a que não será alheio o que vem acontecendo noutros países da região, é uma autêntica revolução.

 

Veremos os episódios seguintes.

 

Silvestre Félix

 

publicado por voltadoduche às 15:42

24
Set 11

O Outono veio e o Verão foi!

Este caminho para o final de Setembro é feito na companhia do cair das folhas e de dias cada vez mais pequenos. É o regresso do tempo melancólico. São três ou quatro meses de cinzentismo absoluto.

  

Percorro as notícias de lés a lés e não encontro nada que justifique uma ponta de entusiasmo ou alegria. Gastam os tempos de antena com todo o tipo de superficialidades que angustiam a já pouca boa vontade interpretativa que nos resta.

 

Temos pressa na passagem desta ponte para o rejuvenescimento da Primavera.

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 21:30

15
Jul 11

Não simpatizo com o estilo e tenho dificuldade em acompanhar a lentidão do discurso professoral do novo Ministro das Finanças. Em aparente contradição com o que acabo de escrever, quer-me parecer que transmite segurança e é muito claro nas explicações. Não deixa pretexto para dúvidas e, em prejuízo da minha “reserva” auditiva, fico-me pelos aspetos positivos que é o que mais importa.

 

Quando vejo um militar ser condecorado e, ainda pior, quando dou conta duma farda militar cheia de medalhas penduradas, fico mal disposto e vem ao de cima toda a carga anti-militarista que transporto desde sempre.

 

Os alemães continuam a insultar os outros europeus com a facilidade com que se come um pão com manteiga. E são sempre uns tipos que usam os altos cargos que têm para vomitarem o seu germânico ódio sobre, principalmente, os do Sul da Europa incluindo os portugueses.

 

Mário Soares diz, mais uma vez, «que é amigo dos dois candidatos a líder do PS, e que não devem irritar-se em público.» Está tudo muito certo mas já o vimos irritar-se e zangar-se com correligionários seus sendo que, não é garantido, que a culpa não tivesse sido dele. Tenho a certeza que, por suposição, fosse Mário Soares um dos candidatos e outro dissesse em direto na TV que tinha conseguido um resultado melhor que o dele nas últimas eleições, quando do que se tratava era disputa entre partidos e não entre distritais do PS, Mário Soares se irritaria e não deixaria sem resposta quem estivesse à sua frente. Foi o que Assis fez, quanto a mim com excessiva calma, mas não podia deixar de o fazer mesmo estando sentado à frente de um camarada de partido que tinha acabado de o provocar e achincalhar.   

 

Assunção Cristas começa bem e acaba de iniciar uma nova “escola” – a dispensa de uso de gravata durante o verão. As razões são muitas, desde as ambientais, poupança, até ao simples conforto. É uma medida corajosa porque rompe tradições e tem um grande peso simbólico.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 22:33

31
Mai 11

Afinal os “pepinos-assassinos” não são espanhóis como os “amigos” alemães se fartaram de dizer.

 

Depois de darem cabo das exportações de hortícolas e frutas espanholas, com centenas ou milhares de encomendas canceladas e rejeitadas por todo o mundo, lá veio alguém dum Governo Regional alemão dizer que afinal o problema não estava no produto espanhol.

 

As autoridades espanholas vão processar a Alemanha pelos prejuízos causados.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:18
tags:

07
Mai 11

As “catedrais” de consumo deste tempo entraram no nosso quotidiano em definitivo e, todos, por milhentas razões, lá vamos.

 

Os portugueses aderiram para o bem e para o mal e não vale a pena arranjarmos razões e desculpas para contrariar esta preferência coletiva.

 

Para a qualidade da nossa sociedade, estas grandes concentrações de “pontos de venda” de todo o tipo de produtos (essenciais ou não) que hoje consumimos, lado a lado com “pontos de diversão e lazer”, têm defeitos e virtudes como tudo na vida.

 

Os discordantes da existência destes grandes centros comerciais terão os seus motivos, alguns bastante aceitáveis mas, os tempos mudaram e todos temos de nos adaptar. Por outro lado, os inflexíveis apoiantes, também devem dar espaço à possibilidade de manutenção de algumas unidades de comércio tradicional e local. É tudo uma questão de concorrência, e já está provado que a coexistência é possível e, em muitos casos, desejável. Não são poucos os exemplos de unidades de rua com sucesso, graças à proximidade dum shopping.

 

Importa também referir como toda esta temática tem realidades diferentes, estando nós a considerar as grandes cidades e, duma forma geral zonas com grande densidade populacional. Nas regiões rurais ou de pouca habitação, as coisas são completamente diferentes e nada do que acima disse, tem sentido.

 

Em qualquer dos casos, não me sinto nada confortável entrar numa “catedral” destas a abarrotar de gente. É como chegar a uma praia e ter de andar à procura duma nesga de areia para estender a toalha.

 

Como estou neste mundo e faço parte desta sociedade, frequento o “shopping” e o “fórum” como toda a gente.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 18:17

03
Mar 11

A corrida desenfreada na obtenção de receitas a todo o custo, mesmo com atropelamentos descarados aos nossos direitos, está a tornar-se obsessiva.

 

Esta tarde nas edições online, a propósito das alterações ao código da estrada aprovadas hoje no Conselho de Ministros, lê-se:

 

“Se o condutor não fizer depósito da multa no momento, documentos e viatura ficam apreendidos.”

 

Evidentemente que tenho dúvidas disto ser mesmo assim. Parece-me existirem muitas situações em que esta possibilidade – Ou paga ou não sai daqui – completamente fora de qualquer “bolha” de bom senso.

 

Por outro lado, e parafraseando o meu amigo Mota: «desde que vi um porco a andar de bicicleta, já nada me admira», é previdente dar alguma folga de crédito à notícia, não vá ser mesmo verdade.

 

É que, se assim for, temos que andar sempre com bolso cheio de notas. Mas dirá o “inteligente” agora toda a gente tem cartão de multibanco – Pois, mas para a coisa funcionar tem de ter dinheiro na conta e, da maneira como as coisas andam em termos de finanças, está bom de ver que, até podemos ter cartões, mas os saldos é que podem estar secos.

 

Então e se o condutor não tiver nota nem cartão, como é? Vai preso? Mesmo que a infração seja mínima?

 

Esperam-se respostas do “inteligente”!

 

Silvestre Félix


21
Fev 11

 

Notícias vindas hoje a público dão conta que as faturas de consumo de água que não sejam pagas dentro do prazo, passarão de imediato para a situação de execução fiscal em vez da habitual cobrança de juros.

 

Quando isto acontecer, a execução fiscal traduzir-se-á numa duplicação do valor da fatura. A medida é justificada pelo escrupuloso cumprimento da Lei do Orçamento de Estado de 2011.

 

Seja por causa do orçamento, seja pelo que for, a ser verdadeira esta notícia, ela traduz bem o desprezo que as entidades responsáveis demonstram pelos cidadãos deste país.

 

São muitas as razões que podem levar um consumidor a não pagar a fatura da água dentro do prazo. Algumas serão merecedoras de punição, mas haverá outras que atravessam toda a população, que são perfeitamente justificáveis e não podem ser ignoradas por quem exerce o poder.

 

Se isto for verdade, é terrorismo de estado no seu melhor estilo!

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 16:48
tags:

03
Fev 11

1 – O Ministro dos Assuntos Parlamentares arranjou lenha para se queimar. Manifestou a sua simpatia pela redução do número de Deputados na Assembleia da República e os seus correligionários caíram-lhe todos em cima. Pois claro, menos “jobs for the boys”!

 

2 – Com a eficácia e credibilidade que a Justiça (não) tem neste País, será que o Ministério Público consegue pôr na ordem a Federação Portuguesa de Futebol? Como é que menos de 30% de representação na Assembleia, com a Associação de Futebol do Porto à frente, conseguem perpetuar tamanha ilegalidade?

 

3 – Fazendo jus à fama junto dos cidadãos, de tudo o que é, ou tem a ver com Justiça, o Ministério Público tratou de acusar o queixoso Ricardo Sá Fernandes por ter cumprido o seu dever cívico de denúncia de ato ilícito.

 

Silvestre Félix


Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
HOJE VIERAM VISITAR-ME

contador gratis
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO