A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

04
Mar 12

A onda eleitoralista levou a que Passos Coelho cometesse o primeiro grande erro do seu Governo ainda antes de o ser – a redução de ministérios na orgânica governamental.


Diminuiu os ministérios e, em consequência, teve que aumentar as secretarias de estado. Em vez de melhorar na decisão e implementação de medidas, complicou porque os secretários de estado não estão (salvo as exceções previstas) no conselho de ministros concentrando-se os dossiers nos ministros de tutela que ficaram “super’s” com tudo o que de negativo daí vem.

 

A propósito da (discutida e, pelos vistos disputada) gestão dos milhões do QREN, mais uma vez é destapada a fraca prestação do professor que “veio do outro lado do mundo” para ministro do trabalho, da economia, dos transportes, das comunicações, do emprego, do empreendedorismo, da competitividade, da inovação, da energia, das obras públicas, do turismo, etc. (não sei se me esqueci de alguma função).

 

Será que qualquer outro ministro, competente que fosse, conseguia dar conta deste recado tão comprido? Este está mais que visto que não consegue e peca ainda mais pelas “bacoradas” que com muita frequência diz e pelas promessas (em breve será anunciado que…) e intensões ainda não concretizadas.

 

Na situação em que se encontra o País, todos os esforços deviam estar concentrados com a força de um Ministério da economia, empreendedorismo, competitividade e inovação. Assim não havia dúvidas para a gestão dos dinheiros do QREN… e pelo menos acreditávamos que o crescimento da economia era uma verdadeira prioridade.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 17:16
tags: ,

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


18
23
24

26
27
28
30


mais sobre mim
pesquisar
 
HOJE VIERAM VISITAR-ME

contador gratis
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO