A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

10
Abr 11

Quando se faz da independência partidária uma bandeira como o Dr. Fernando Nobre fez durante a última campanha presidencial, é difícil compreender que aceite liderar a lista de Lisboa de um dos maiores partidos portugueses. É o PSD mas podia ser (este podia é empregue convictamente, porque, pelos vistos, aceitaria oferta idêntica de outros) o PS ou qualquer outro, não é isso que interessa. O que importa destacar agora é que não pode mais discursar naquela onda de rigor de cidadania, denunciando o espartilho dos partidos e dos interesses associados. Agora vai passar a fazer parte duma família partidária (mesmo não sendo filiado, por enquanto) e, aos olhos dos portugueses vai ser mais um político com toda a carga negativa que antes lhe atribuía.

 

Do ponto de vista partidário e no que respeita às ambições dos respetivos boys, a decisão trará alguns problemas a Pedro Passos Coelho que, só serão amenizados se o resultado eleitoral for francamente bom. A notícia é apresentada como grande trunfo e vão ser necessários alguns dias para perceber se se confirma esta intenção.

 

Dos apoiantes presidenciais de Fernando Nobre já dá para perceber que há muitos desiludidos e os votos conseguidos em Janeiro podem não ter qualquer influência nas opções a 5 de Junho.

 

Os partidos portugueses, para além de todas as vicissitudes, ainda conseguem aliciar muita gente para se debater pelos seus interesses.

 

Silvestre Félix

publicado por voltadoduche às 21:41

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


22
23

24


mais sobre mim
pesquisar
 
HOJE VIERAM VISITAR-ME

contador gratis
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO