A volta das voltas. Chegamos, partimos e lá voltamos sempre!

01
Jun 09

 

Até há oito anos atrás, viajava de avião com alguma frequência. É um hábito como qualquer outro, só que, é incompleto, porque ao medo a gente nunca se habitua.
Tive sempre medo de voar. Apanhei alguns sustos, uns mais que outros, e num ou noutro dos “mais”, também cheguei a pensar que podia ser o fim. Quando a rota era sobre o mar, o medo subia. O que mais me afligia, era a possibilidade de não cair em terra e, vez disso, afundar-me no oceano.
Para os familiares dos passageiros e tripulantes deste voo Rio/Paris, a morte deles é dolorosa como é sempre, mas a circunstância dos corpos poderem não ser recuperados, aumenta em muito a dor, e é uma aflição sempre em aberto.
Para estas 231 pessoas, a morte não preveniu a vida!
SBF
publicado por voltadoduche às 17:29

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


27



mais sobre mim
pesquisar
 
HOJE VIERAM VISITAR-ME

contador gratis
DESDE 14.06.2009
Free Counter
Free Counter
PELO MUNDO FORA DESDE 28.10.2009
Locations of visitors to this page
blogs SAPO